A palavra revelada – carta de Jorge Miguel Marinho

Hoje vamos saber qual é a palavra envergonhada, que estava escondida, e durante três semanas tentamos descobrir o nome dela. Quem vai nos contar é o próprio autor da história, A palavra que não queria dizer seu nome, o Jorge Miguel Marinho. Essa história foi publicada em três capítulos aqui no blog. E para revelar o nome dessa palavra, o Jorge Miguel escreveu uma carta pra gente, uma carta muito bonita! Eu adorei e confesso que fiquei muito emocionado com as palavras do Jorge.

Com este post, encerramos esse novo clube de leitura que fizemos com a turma da professora Luciana, meus novos amigos da Escola Municipal Luiz Gatti, de Belo Horizonte. Foi um clube de leitura bem diferente, me disseram que o que fizemos aqui foi mediação de leitura literária, e uma mediação muito especial, teve até a participação do autor. Adorei essa mediação e quero fazer outras! E agora vamos à carta do Jorge…

PARA O MEU AMIGO LE-HEITOR

Olá pessoa e pessoal.

Tem um escritor muito querido que, se vocês ainda não conhecem, têm de conhecer já. É o Mário de Andrade e ele diz:

“Ninguém escreve para si mesmo, a gente escreve para atrair, para encantar, para ser amado.”

Eu também escrevo para me aproximar das pessoas, para contar a minha vida e contar a vida de outras pessoas, para receber afetos de quem me lê. Foi isso que vocês me deram com a leitura tão sensível, com o entusiasmo que é a maior força da infância e da juventude, com as palavras bonitas que me enviaram. Agora somos amigos pela vida inteira e mais um dia, amigos eternos.

Vocês me fizeram feliz, muito feliz.

Esse gesto se chama amor e é o contrário da palavra que não queria dizer seu nome. É “violência” mesmo. Quem acertou acertou e quem não acertou chegou perto. O mais importante é entrar no jogo e tentar descobrir o sentido das palavras e o sentido da vida.

Agora a gente tem de pensar numa coisa: tem violência porque existe gente violenta e tem violência porque a vida é violenta. Pensa bem nisso, turma, a violência nunca tem perdão mas, às vezes, ela acontece e, de verdade mesmo, não queria existir. O que se pode fazer é combater a violência ou acabar com ela, descobrindo outros sentidos que têm dentro das palavras e dentro das pessoas, é claro.

Por exemplo, dentro da palavra violência tem “vi” de vida, de virtude e de vitória que não é só de quem ganha, mas de quem joga para, quem sabe, ganhar. E também tem “len” de silêncio e de lentidão que às vezes é bem bom para a saúde e para a criação. E “a” de amor e de altura que nem sempre dá vertigem quando a gente quer voar. E mais “ci” de cidadão e de cicatriz que pode ser a lembrança de uma dor que já passou.

Entenderam? Eu sabia que vocês iam entender.

Quero mandar um abraço bem forte para todos e já vou ficar pensando o que tem dentro de um abraço, o que tem dentro da palavra abraço, o que tem dentro do coração dos amigos que se abraçam. E dentro de nós que fomos brincando com a palavra violência e ficamos amigos que é o melhor da vida.

Outro abraço do Jorge.

Mário de Andrade: “Ninguém escreve para si mesmo, a gente escreve para atrair, para encantar, para ser amado.”
Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  1. Que emocionante, Heitor! Chorei com a linda carta do Jorge!
    Obrigada a vocês dois pela oportunidade de poder participar com meus alunos desse clube de leitura ou dessa mediação de leitura literária!
    É uma pena que já estamos no fim do ano escolar, pois teríamos ainda muito mais para trabalhar falando sobre essa palavra envergonhada! O importante é que foi uma experiência única e tenho certeza de que ficará guardada com cada um.
    Vou te dizer uma coisa: adoro ler livros de autores vivos! É uma honra poder conhecer um autor de pertinho e interagir com ele.
    Mais uma vez: Obrigada e até o próximo ano!
    Luciana

  2. Foi, mesmo, professora Luciana, muito emocionante a carta do Jorge. Foi bem legal ele ter cedido pra gente essa história e no final, mandar uma carta para anunciar o resultado.
    Já fizemos outros clubes bem legais, mas este foi diferente. Fico feliz que vocês tenham gostado e aproveitado, essa experiência também vai ficar guardada aqui dentro de mim.
    Pois é, me falaram que o que estamos fazendo, pode ser um tipo de mediação de leitura literária. Achei da hora, isso!
    Obrigado por você e os seus alunos fazerem parte dessa nossa mediação. Vou esperar os comentários da turma, depois comento de novo.

  3. oiii Heitor tudo bem? Adorei muito ter participado pela primeira vez de um clube de leitura eu nunca tinha feito esse tipo atividade antes, adorei as fotos. Espero continuar lendo suas resenhas e tenha um bom Natal e um Prospero Ano Novo com abraços Lorena

  4. oi heitor gostei muito do seu blog parabéns pelo seu trabalho que você tenha bastante sucesso na sua vida
    PARABENS HEITOR

  5. Aeeew ,Milagre conseguimos achar ela kkkkk , Entao adorei trabalhar com você sobre essa palavrinha e Boa Sorte com o blog ṕorque na minha opnião ele ira crescer e muito!!!

  6. Oi Heitor, gostei bastante do nosso clube da leitura e destas três semanas com o seu blog !!! Obrigado por tudo …

  7. Oi, eu adorei o final e amei acertar a palavra , quero ter a próxima oportunidade de participar do seu blog <3

  8. Ola heitor , Bom até que fim achamos a palavra, ja estava ficando confuso kkkkk , Mais espero poder participar de mais um blog ano que vem.

    abraços

    att:ygor

  9. Oi,Heitor, perdi a aula no dia do ultimo capitulo mais fiquei feliz em descobrir que a palavra e violência, infelizmente uma palavra muito comum no nosso dia a dia.
    Um abraço.

  10. Oi Heitor gostei muito do seu blog. Continue assim que você terá mais sucesso.Obrigado por seu clube de leitura.

  11. Oi, pessoal.
    Obrigado a todos por terem participado desse nosso novo clube de leitura. Parabéns aos que acertaram a palavra, e parabéns, também, aos que não acertaram, pois como disse o Jorge Miguel Marinho “o mais importante é entrar no jogo e tentar descobrir o sentido das palavras e o sentido da vida”.
    Obrigado ao Jorge e a professora Luciana, que sempre acreditaram em mim, e um especial agradecimento aos meus novos amigos, alunos da Escola Municipal Luiz Gatti, de Belo Horizonte, que entraram com tudo nessa brincadeira. Espero encontrar vocês no ano que vem, novamente. Até lá!
    Beijos e abraços do Heitor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *