“Corta-Luz”, o livro feito ao vivo

Como prometi no post anterior, hoje vou falar de um livro feito ao vivo. O livro se chama Corta-Luz e os seus autores Sílvia Zatz, Michel Gorski e Eloar Guazzelli se encontraram durante dois meses, duas vezes por semana, para criar juntos esse livro. Os encontros foram promovidos pela Biblioteca Parque Villa-Lobos, e neste domingo, 26 de junho, nessa mesma biblioteca (endereço e horário abaixo), eles compartilharão com o público como foi o processo de criação do livro, e todos são convidados. Eu acompanhei vários encontros e vou adiantar, agora, com exclusividade, alguns segredos do Corta-Luz.

Ideia do livro surgiu de história real

Sílvia Zatz, uma das autoras do livro, comprou um HD novo, de fábrica, e quando foi instalar no seu computador percebeu que ele já tinha um arquivo em sua memória, reclamou, trocou diversos e-mails com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), e no final, apagou o arquivo, sem ao menos investigar o que tinha dentro dele.

Quando a Sílvia foi contar esse caso para o Michel Gorski (seu parceiro na literatura) ficou arrependida e curiosa: “O que seria aquele arquivo que apaguei?” E dessa conversa, eles tiveram uma ideia: “Isso pode dar uma boa história!” E foi o que fizeram.

Inventaram um conteúdo para o arquivo apagado, criaram alguns personagens, escreveram um roteiro e convidaram o ilustrador Eloar Guazzelli para se juntar ao time. Duas vezes por semana, durante dois meses, os três se encontraram na Biblioteca Parque Villa-Lobos, e juntos criaram, ao vivo, um livro que vai se chamar Corta-Luz.

Encontro com os autores

Neste domingo, dia 26 de junho, às 14h30, na Biblioteca Parque Villa-Lobos (avenida professor Fonseca Rodrigues, 2001 – Alto de Pinheiros, São Paulo – SP), os três autores vão conversar com o público e apresentar o resultado desse trabalho.

A história inventada

Na história inventada para o livro Corta-Luz, quem compra o HD “virgem” ocupado por um arquivo é a Thais, mãe do Zeca. O arquivo intruso é de outro personagem do livro, o Claudinei, era a vida do Claudinei que estava nesse arquivo. A Thaís pede para o Zeca apagar o arquivo, mas, ao invés de apagar, ele começa a investigar o Claudinei e descobre muitos segredos desse personagem misterioso.

Mas o Zeca não investiga sozinho, investiga com a sua turma, formada por Nina, Afonso e Danilo. Juntos descobrem que o Claudinei trabalha na Câmara como taquígrafo e nas horas vagas é guia turístico, ofício que aprendeu com o Hiroshi. Ele promove passeios pela cidade de São Paulo e as informações dos roteiros desses passeios são registradas em código, acham os registros muito suspeitos e resolvem continuar a investigação.

O Claudinei começa a ficar desconfiado e por um acaso descobre que suas dicas de passeio foram parar na internet, que alguém estava pegando as suas coisas. Então chama duas adolescentes, feras em informática, para investigar o caso, são as filhas do Hiroshi. Assim formam a outra turma, a turma do Claudinei, com Nara, Mano e Zumi. A turma que investiga também será investigada!

Eu não li a parte do livro que eles já escreveram, só participei da conversa, eles também me contaram alguns trechos da história. Sei que tem uma sociedade secreta que investiga encontros e desencontros e acho que é por aí que vai seguir o livro. Sei também que a narrativa é no formato de um jogo, por isso o livro se chama Corta-Luz, que é uma jogada do futebol.

Outra coisa que descobri ouvindo a conversa dos três autores é que o livro vai começar com as primeiras páginas só com imagens, mas já contando a história. Será uma apresentação para entrar na narrativa, eles me disseram. O livro é um jogo, por isso os 26 capítulos serão apresentados com a palavra Jogo escrita em diversos códigos, em japonês, chinês, grego, morse, criptografia, esperanto, braile, taquigrafia, etc..

Me sinto como um personagem

Também descobri que os personagens vão circular por diversos lugares da cidade de São Paulo e que em alguns momentos, pelo livro ser quase um jogo, serão representados como personagens de games. Fiquei curioso em saber como vão ficar esses personagens!

Agora, terminando de escrever este post, me sinto como um personagem dessa história, pois também fiz a minha investigação e contei tudo pra vocês. Espero que eles não fiquem chateados comigo, afinal, não cometi nenhum spoiler, o livro será muito mais do que tudo que contei. Não vejo a hora de poder ler!

Compartilhe:
  • Print
  • Facebook
  • Add to favorites
  • email
  • LinkedIn
  • MySpace
  • Twitter
  • Live
  • Orkut
  • PDF
Deixe o seu comentário