João Carlos Marinho no clube de leitura

Hoje é dia de clube de leitura! O clube de hoje será com os alunos do sexto e sétimo anos, do professor Carlos, da EMEF Vera Lúcia Carnevalli Barreto, de São José dos Campos, e o livro que lemos foi O gênio do crime, do escritor João Carlos Marinho. São aproximadamente 70 alunos que estão participando desta edição do nosso clube. O professor Carlos disse que leu O gênio do crime quando tinha 12 anos – a nossa idade, minha e dos alunos dele – e esse foi um dos livros que o incentivou à leitura.

Esta edição do nosso clube de leitura também vai ter uma entrevista coletiva com o autor, como a que fizemos no clube com o Nelson Cruz. Os alunos do professor Carlos mandaram algumas perguntas, eu e o meu amigo Lipe bolamos mais duas, enviamos para o João Carlos Marinho, e ele respondeu. Ele disse que as nossas perguntas foram ótimas e que foi um prazer responder!

Como foram as outras edições do nosso clube de leitura, hoje eu publico o post e nos próximos dias os alunos vão deixando os seus comentários. Quem não faz parte do clube e quer deixar um comentário, também pode.

Nossa roda de conversa

– Lipe, um aluno da professora Luciana, de Belo Horizonte, me perguntou se você é meu amigo imaginário ou é de verdade.

– E o que você respondeu?

– Que é de verdade, claro! Eu ia mentir pra ele?

Desta vez foi mais fácil fazer a roda de conversa com o Lipe, depois que fizemos as pazes, estamos sempre juntos, ele até já foi comigo às reuniões do PMLL.

– Você gostou do livro O gênio do crime?

– Adorei e quero ler os outros livros da Turma do Gordo, achei essa turma bem maneira! E você, gostou?

– Gostei muito e também vou ler os outros da Turma do Gordo.

Conversamos bastante sobre o livro, contei ao Lipe as partes que gostei mais, e ele me falou das suas preferidas, até que me lembrei da entrevista coletiva:

– Viu, Lipe, esse clube com o João Carlos Marinho também vai ter entrevista coletiva, os alunos do professor Carlos vão mandar as perguntas e nós podemos fazer duas. Você já sabe o que perguntar?

– Sei, quero perguntar se ele montava álbuns de figurinha quando era criança e se conseguiu completar algum, meu pai disse que era muito difícil encher um álbum, antigamente.

– Boa! Também já sei o que vou perguntar… Li que ele recebe visitas de escolas em sua casa, aqui em São Paulo, vem alunos e professores, até de outras cidades, e conversam com ele sobre seu trabalho e seus livros. Vou pedir pra ele falar dessas visitas, quem sabe o professor Carlos decide trazer os seus alunos pra visitar o João Carlos Marinho e a gente vai junto com eles.

O livro O gênio do crime, escrito por João Carlos Marinho e publicado pela Global Editora começa assim: “Era um mês de outubro em São Paulo, tempo de flores e dias nem muito quentes nem muito frios, e a criançada só falava no concurso das figurinhas de futebol. Deu mania, mania forte, dessas que ficam comichando o dia inteiro na cabeça da gente e não deixam pensar em mais nada. Quem enchia o ábum ganhava prêmios bons e jogava-se abafa pela cidade: São Paulo estava de cócoras batendo e virando. Batia-se de concha, de mão mole, de quina, com efeito, de mão dura, conforme o tamanho do bolo, o jeito do chão e o personalíssimo estilo de cada um.”

Havia as figurinhas difíceis, por isso pouca gente conseguia completar um álbum. No álbum do Edmundo só faltava o Rivelino, ele comprava toneladas de envelopinhos e o Rivelino não saía; foi jogar abafa na Vila Matilde e no Tucuruvi, e nada; foi ao treino do Corinthians falar com o Rivelino e nem o próprio jogador tinha a figurinha dele mesmo. Certo dia seu amigo Pituca chegou com uma novidade: “disseram que no largo São Bento tinha um cambista que vendia as figurinhas abertas; o fulano encomendava a figurinha que queria e no dia seguinte o cambista trazia. Custava caro, mas era garantido.”

O Edmundo encomendou o Rivelino e, finalmente, conseguiu completar o álbum. Foi à fabrica buscar seu prêmio e descobriu que as figurinhas que o cambista vendia estavam levando seu Tomé, o dono da fábrica, à falência, muitos álbuns cheios e tantos prêmios, que seu Tomé não estava dando conta. Depois de muita conversa e negociações o Edmundo, o Pituca, o Bolacha, que nem de futebol gostava, e depois a Berenice, formaram a Turma do Gordo e resolveram ajudar o seu Tomé a encontrar a fábrica clandestina e pegar o gênio do crime.

O livro quase não saiu

O livro quase não saiu e o João Carlos Marinho ia desistir de ser escritor. Ele publicou O gênio do crime em 1969, mas até o livro ficar pronto, muitas coisas aconteceram. Começou a escrever o livro em 1965, quando tinha 30 anos de idade, morava em Guarulhos (SP), tinha um escritório de advocacia, aonde ia trabalhar à tarde, e de manhã ficava em casa, brincando com o filho pequeno, cuidando do jardim, da horta, do galinheiro, pensando e se lembrando da infância.

Lembrava sempre dos concursos de figurinhas de futebol e dos álbuns que colecionava quando era criança, achou que podia escrever um livro infantil, envolvendo um mistério e que tivesse figurinhas de futebol. Primeiro fez o desenho do livro, uma fábrica de figurinhas honesta, outra desonesta e um grupo de meninos detetives, em seguida criou os personagens, encaixou os personagens no desenho da história e começou a escrever os primeiros capítulos.

Quando escrevia a parte da história em que o gordo tem a grande ideia para perseguir e pegar os cambistas criminosos, a imaginação dele “secou”. Ficou 20 dias pensando nessa ideia, pensava no livro o dia todo, mas não conseguia encontrar uma saída, “deu branco total”. Abandonou os rascunhos na gaveta e durante 10 meses não pensou mais no livro. Quase desistiu de ser escritor, pensou que o que aconteceu com ele foi um “fogo de palha, que acontece na vida de todo mundo”.  Até que em janeiro de 1967, passando férias em uma praia, acendeu “uma lâmpada” em sua cabeça, que lhe revelou a grande ideia para continuar e terminar de escrever seu primeiro livro. Essa e outras histórias estão no site http://www.globaleditora.com.br/joaocarlosmarinho.

Entrevista coletiva

“Nunca foi meu propósito seduzir o leitor e sim dar-lhe boa literatura”

Entrevistamos o João Carlos Marinho!

Fizemos algumas perguntas (eu, o Lipe e os alunos da EMEF Vera Lúcia Carnevalli Barreto, de São José dos Campos), lhe enviamos e ele respondeu.

Clube de Leitura – Como é para você saber que tem milhões que gostam de seus livros?
João Carlos Marinho – Isso me deixa realizado como escritor, não tanto pela quantidade de livros vendidos, que sempre achei secundária em literatura (onde sigo a lição dos reais apreciadores), mas pela permanência no tempo. Já se passaram 44 anos do lançamento de O gênio do crime.

CdL – Você ganhou muito dinheiro com O gênio do crime?
JCM – Se somarmos esses 44 anos daria um soma alta, mas isso até com o salário de qualquer um. A renda que me dá não é grande, é modestamente confortável.

CdL – Em algum momento você pensou que o livro poderia não emplacar, por motivos como o contrabando de Edmundo ou pelo fato de Bolacha quase ser morto com uma facada, ou, ainda, por algum outro motivo?
JCM – Esses fatos citados são irrelevantes. Vamos substituir a palavra “emplacar” por “firmar-se na literatura”, que deixa mais claro de que nunca foi meu propósito seduzir o leitor e sim dar-lhe boa literatura. Nunca fiquei preocupado em ficar analisando se o livro ia ou não “firmar-se na literatura”. Deixei acontecer.

CdL – Você acha que seu livro pode ser lido por crianças menores de 8 anos?
JCM – A minha experiência pessoal como criança, a minha experiência de vida e a minha experiência de autor que há 44 anos conversa com leitores, individualmente ou nas classes que me visitam sucessivamente, me convenceram de que a organização cerebral meio simplória da criança dá um salto formidável a partir de aproximadamente 7 ou 8 anos (com raras exceções), que permite pensamentos bastante complexos. Por isso a idade ideal para ler meus livros, como eu constatei, é entre 9 e 12 anos ou 13. Quando começa a adolescência, pela minha experiência, a infância deixa de existir, o adolescente já é um adulto que se acha em um processo de metamorfose glandular violenta e a infância já acabou. Dos 12 ou 13 anos em diante o leitor pode entender perfeitamente meus livros, mas não entra no clima da infância, ele está fora do clima da infância, e não sente o mesmo prazer, não “veste a camisa”. Os professores também sentem isso e por isso nunca trazem classes de adolescentes para me visitar após a leitura. Os adolescentes (com exceções) fazem uma leitura “fora de foco”. Nesse ponto eu até prefiro a leitura dos menores de 9 anos, que já me trouxeram classes assim, inclusive de 7 anos, eles não tem um aproveitamento ótimo mas pegam umas coisas aqui e ali e, ao contrário dos adolescentes, estão “no foco”.

CdL – Você já recebeu alguma crítica, da qual não gostou? Pode revelar?
JCM – Não me recordo de nenhuma crítica que tenha me incomodado ou mudado o meu bom humor.

CdL – Já passou pela sua cabeça que os pais proibiriam as crianças de lerem o livro, pelo fato de os meninos da história mentir para os seus pais?
JCM – A literatura e de um modo geral toda a arte que chega até a criança sempre teve que passar pela vigorosa censura de pais e professores. É normal. Dentro disso também é normal que existam “transbordamentos” e “exageros de zelo”. Desde criança que eu sei disso e isso nunca me incomodou e nem me perturbou.

CdL – Hoje, você mudaria alguma coisa no livro O gênio do crime?
JCM – Não.

CdL – Qual foi a melhor opinião que lhe deram a respeito de O gênio do crime?
JCM – É uma que se repete sempre, de adultos me dizendo que meus livros abriram para eles os horizontes da boa leitura e que são guardados sempre na memória deles como inesquecíveis.

CdL – Você colecionava figurinhas quando era criança? Conseguiu completar algum álbum?
JCM – O fato de eu colecionar apaixonadamente figurinhas é que gerou este livro, junto com o fato de que era muito difícil encher um álbum por causa das figurinhas difíceis. Eu nunca enchi um álbum. Era uma emoção muito grande. Se quiserem saber como era o meu álbum é só acessar o vídeo MEU ÁLBUM que se acha no meu site.

CdL – Como são as visitas que professores e alunos fazem a você? Há um agendamento?
JCM – Os professores entram em contato comigo através do meu site que está impresso em todos os livros ou através dos divulgadores da Global e explicam que livro eles estão lendo, quantos alunos são e fica marcada uma data. O meu prédio tem um auditório muito agradável que fica no fundo de um grande jardim que as crianças devem atravessar para chegar até ele e por isso já chegam felizes. No mês passado esteve aqui o Colégio Maria Imaculada de Jacareí e na semana que vem receberei o Colégio Ceni de Taubaté. No ano passado recebi o Pequeno Príncipe (SEPP) de Jacareí, assim como recebo também escolas mais distantes do interior mas a grande maioria é daqui de São Paulo mesmo.

João Carlos Marinho nasceu no Rio de Janeiro em 25 de setembro de 1935, e logo se mudou para Santos onde cursou o primário no Ateneu Progresso Brasileiro. Fez o ginasial em São Paulo no Colégio Mackenzie, e depois se mudou para Lausanne, na Suíça, onde cursou o colegial na Maturité Fédérale Suíça. Voltando ao Brasil morou em São Paulo e se formou em Direito pela Faculdade do Largo São Francisco (USP). Formado passou a morar e advogar em Guarulhos, no escritório de Advocacia Trabalhista J.C. Marinho, até 1987, quando voltou pra São Paulo, onde mora até hoje, e passou a viver exclusivamente de literatura.

Em 1969, quando ainda advogava, publicou o livro O gênio do crime que virou um clássico da literatura infantojuvenil brasileira, já tendo passado a marca de 60 edições. Depois de O gênio do crime vieram outros livros da Turma do Gordo, Sangue fresco, Berenice detetive, O conde Futreson, O disco I – A viagem, O disco II – A catástrofe do planeta ebulidor, O gordo contra os pedófilos, Assassinato na literatura infantil, ao todo são doze os títulos da Turma do Gordo. Escreveu ainda quatro livros para adultos. Com o livro Sangue fresco ganhou o Prêmio Jabuti e o Prêmio da Crítica APCA, e com o livro Berenice detetive, o Prêmio Mercedes Benz. O livro O gênio do crime virou filme de cinema em 1973, como O detetive Bolacha contra o gênio do crime, dirigido por Tito Teijido, e também foi traduzido para o espanhol, como El gênio del crimen. Em 2009 aconteceram muitas comemorações para festejar os 40 anos deste livro.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  1. Você viu, Luara… Eu também não sabia que O gênio do crime quase não saiu e que o João Carlos Marinho quase não foi escritor. Sim, é bem legal o livro, sucesso há 44 anos!

  2. JOÃO CARLOS MARINHO: eu gostei muito do seu livro, pois ele passa para nós uma mensagem boa de:CORAGEM e HONESTIDADE, entre outras coisas. Gostaria de lhe pedir que escrevesse muito mais livros. Penso que não só eu, mas todos os leitores adoraram seu livro. Obrigada.
    HEITOR: te agradeço por levar minhas perguntas para o autor.
    Eu gostei muito por você ter criado este blog. Continue com esse trabalho maravilhoso. Obrigada!!!

  3. JOÃO CARLOS MARINHO- eu gostei muito dos seus livros, eles são muito bom, principalmente o gênio do crime, que além de ser uma aventura é um livro interessante, e a turma do gordo torna o livro mais legal, eu gostei das outras coleções, livros como esse é difícil de encontrar
    HEITOR: eu gostei muito do site, além de ter as melhores perguntas do autor, o site está de parabéns, porque é um ótimo site, eu achei um trabalho exelente !!
    STEFANIE-CLUBE DE LEITORES DA ESCOLA VERA LÚCIA

  4. HEITOR; eu gostei muito do seu site,além de ter varias perguntas interessantes o seu site está de parabéns ,foi muito ótimo participar dele,eu achei um trabalho muito interessante ta de parabéns excelente!!!

    RAIANE- CLUBE DOS LEITORES DA ESCOLA VERA LÚCIA

  5. Oi, Vitória. Obrigado! Que bom que você gostou do blog. Você viu, o João Carlos Marinho achou ótimas as perguntas. Vou dizer a ele que você deixou um recado pra ele aqui.

  6. Oi, Stefanie. Que bom que você também gostou do blog e desse meu trabalho. Por que, às vezes, dá trabalho, mesmo! Também vou avisar o João Carlos Marinho que você deixou um recado pra ele aqui. Obrigado!

  7. Oi, Raiane. Fico feliz que você tenha gostado do blog e das perguntas que fizemos para o João Carlos Marinho. Fico mais feliz, ainda, que vocês estão gostando de participar do clube de leitores da Escola Vera Lúcia, aqui no blog. Obrigado! Vou esperar mais comentários.

  8. Oi João Carlos Marinho , queria falar que gostei muito do livro “O Gênio do Crime”, seria uma pena se o livro não tivesse sido publicado e muito mais ainda se você não fosse escritor, bom só queria te dar os meus parabéns , excelente trabalho e que continue assim escrevendo livros legais e interessantes como você faz e novamente falo meus parabéns !.

    ISABELLE DO CLUBE DE LEITORES DA ESCOLA “EMEF VERA LÚCIA CARNEVALLI BARRETO”.

  9. Heitor Parabéns pelo Seu Blog!! Gostei Muito da Matéria sobre o Livro “O Gênio
    do Crime”,amei participar do Clube de Leitores,foi uma experiencia Ótima que eu nunca Passei!! Parabéns Mesmo pelo Blog,continue assim!!

    EDUARDO MENDES DO CLUBE DE LEITORES DA ESCOLA “EMEF VERA LÚCIA CARNEVALLI BARRETO”

  10. HEITOR seu blog e´muito bom. Tambem gosto de ler, gostei muito de poder participar do Clube de Leitores da EMEF VERA LUCIA…
    O livro O GENIO DO CRIME e um livro que gostei muito porque fala sobre parecido com a vida real.heitor gostei muito mesmo do livro e o teu blog.Voce esta de parabens.
    E nao pare com este blog.

  11. Oi, Isabelle. Eu também acho que seria uma pena que esse livro não tivesse sido publicado… Depois vou avisar o João Carlos Marinho que você deixou recado pra ele aqui. Volte sempre!

  12. Obrigado, Eduardo! Que bom que você gostou do livro e da matéria sobre “O gênio do crime”. Eu também gostei de fazer o clube de leitura com vocês, e acho que ainda vamos promover outros eventos com os alunos da EMEF VERA LÚCIA CARNEVALLI BARRETO. Aguardem!

  13. Oi, Bruna. Obrigado! Que bom que você também gosta de ler. Eu também gosto de livros como esse, que inventa histórias, mas é parecido com a vida real. Não vou parar, não, com o blog. Às vezes escrevo menos, provas e trabalho na escola – você sabe como são essas coisas – mas sempre volto pra escrever.

  14. JOÃO CARLOS MARINHO- Seu livro é muito bom,adorei! Falei para minha amiga sobre seu livro,ela leu e também gostou. Gostei muito de ler seu livro..
    HEITOR- Seu site é perfeito,gosto muito de ler,e adorei o livro ”O GÊNIO DO CRIME” parabéns pelo site!
    Ana Camila -CLUBE DE LEITORES DA ESCOLA VERA LÚCIA

  15. Oi, Ana Camila.
    Obrigado! Que bom que você gosta de ler o meu blog. Fico muito feliz com isso!
    Vou avisar o João Carlos Marinho que você deixou um comentário para ele.

  16. Sou aluno do Vera Lúcia e faço parte do clube de leitura.Adorei o livro O Gênio do Crime gostei muito da parte onde bolachão é preso no ‘covil’ dos bandidos.

  17. Estudo na escola Vera Lúcia e participo do clube da leitura. Gostei muito do livro O Gênio do Crime. Quando você começa a ler, não consegue parar mais. Parabéns, e continue assim!!!

  18. Olá Heitor, ainda estou fila para ler seu livro mas já vou começar gostei do seu blog e ouço falar muito bem dos seus livros.
    Muito bom seu trabalho continue assim.

    DIEGO DO CLUBE DE LEITORES DA ESCOLA “EMEF VERA LÚCIA CARNEVALLI BARRETO”

  19. Oi, Diego. Obrigado!
    Os livros não são meus, são dos escritores, eu só falo deles aqui no meu blog. Depois que você ler este, volta aqui para contar se gostou.

  20. Gostei muito do livro o genio do crime gostaria que você posta e mais livros do João Carlos marinho no seu blog sou da escola vera lucia em que você visitou 06 de novembro gostei muito do desfecho desse livro

  21. oi Heitor gostei muito do livro adorei o suspense e a ação que acontecem nele e queria parabenizar a você por ter este blog incentivando as pessoas a lerem

  22. Olá, sou aluno da Vera Lúcia e participo do clube de leitura. Gostei muito do Gênio do Crime, sua história é ótima, quando comecei quis ler até o fim. O final do livro foi bem legal, com um pouco de suspense e aventura. Gostei muito do livro e quando possível vou ler o resto da coleção.
    Até mais.

  23. Estudo na Escola Vera Lúcia e estou Participando do Clube da Leitura.Gostei Muito do Livro o Gênio do Crime,o Suspense deixa o livro ainda mais emocionante,dando ao leitor inúmeras idéias sobre o que acontecera com os personagens,qual destino cada um deles levaram.Muito Bom Espero Ter Mais Livros como Este para Ler!!!

  24. Olá João te conheci hoje vi na sala de Leitura na escola Vera Lucia Carnevalli Barreto
    Eu era uma baixinha não sei sé você a lembra até que te chamei de senhor dai voc~e falou a me chama de você então rs …
    Eu quero fazer uma pergunta…
    Como você começo a gosta de ler ?

  25. Oi, Adriele. Eu também gostei muito de “O gênio do crime”. Fiquei sabendo que vocês já leram outros livros do João Carlos Marinho. Vou ler também pra depois escrever no blog.

  26. Oi, João Gabriel. Obrigado! Gosto de livros de suspense e ação e nesse livro gostei da parte que o Bolacha está preso, achei que ele não ia sair dessa.

  27. Oi, Bruno. Eu também quero ler os outros da coleção. Adoro livros assim, que a gente começa ler e não consegue parar mais, até acabar.

  28. Oi, Iago. Isso mesmo! Lendo livros assim, quando chega as partes de suspense, a gente fica pensando em tudo que pode acontecer, acho que por isso que a gente não consegue parar.

  29. Oi, Pedro. O livro é do João Carlos Marinho, você sabe, não é? Eu só contei um pouco da história dele aqui e adorei, o livro e o nosso clube.

  30. Oi, Nicole. O João falou que lembra, sim, de você. Ele mandou dizer que aprendeu a gostar de ler em casa, na escola e vendo os outros lerem. E quanto a ser autor, ele disse que isso começou comigo e com esse blog, e que tem outros planos para o futuro.

  31. Oi, pessoal do clube do Vera Lúcia. Alguns comentários que vocês escreveram e as minhas respostas estão no post “Uma sugestão e dois clubes de leitura”

  32. foi muito bom você ter ido na nossa escola , porque você deu várias dicas de livros que nós poderíamos ler e eu sei que as sua dicas vão me ajudar cada vez mais a ver que existe muitos livros bons que eu possa ler !

  33. Oi, Iara.
    Também achei muito bom o encontro com vocês, adoro quando conheço pessoas que gostam de ler, assim como eu…

  34. Eu gostei Muito do Seu Blog adorei a Visita que Voce fez a Nossa Escola ,e Tambem gostei Muito Do Livro o Gênio do Crime muito Legal

  35. Oi, Gustavo. Que bom que você gostou do blog. Obrigado!
    Também gostei de visitar sua escola e depois vou contar um pouco, como foi…

  36. Gostei muito dos livros do João Carlos Marinho e adorei todos eles , e tambem gostei muito do blog , e adorei a sua visita a nossa escola !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *